Blog

Jardim Vertical: Tudo que você precisa saber antes de ter o seu!

Jardim vertical.
Já pensou em ter um jardim vertical? Descubra tudo que você precisa para montar e manter um.

Jardins verticais são ótimas opções para quem quer trazer a natureza para dentro de casa. Pode se adaptar a ambientes internos ou externos, sendo uma opção viável tanto para quintais quanto apartamentos. Além de ocupar pouco espaço, criam um ambiente bonito e vivo, combinando cores e aromas.

As opções são diversas, desde plantas com valor puramente estético, a jardins funcionais e hortas verticais. No entanto, algumas questões devem ser consideradas para manter o seu jardim bonito e saudável. Abaixo, trouxemos algumas dicas para ajudá-lo a entender melhor o que você precisa para ter o seu próprio jardim vertical.

Estrutura
Estrutura de jardim vertical.

Não há uma regra sobre como montar a base do seu jardim vertical. Várias estruturas podem ser usadas, mas é importante saber qual se adapta melhor às suas necessidades. É preciso ter em mente quais espécies pretende utilizar, assim como o ambiente no qual o jardim será montado e os processos de manutenção. Listamos aqui as opções mais comuns, mas vale lembrar que esses sistemas são altamente personalizados.

  • Sistemas Modulares: Unidades pré-fabricadas vendidas em módulos. Estes sistemas geralmente contêm a estrutura para fixação na parede e suportes para vasos ou recipientes para acomodar diretamente a terra. Podem ser feitos de madeira, cerâmica, concreto ou plástico e são muito utilizados para criar as chamadas paredes verdes, dando a sensação de que as plantas saem diretamente da superfície vertical.
  • Blocos Pré-Moldados: Estas são estruturas fixas, geralmente de alvenaria ou madeira, impermeabilizadas. São opções mais indicadas para ambientes externos, podendo ter diversos formatos e tamanhos.
  • Treliças: Podendo ser de madeira ou metálicas, estas estruturas configuram somente o suporte, onde podem ser acoplados vasos ou diretamente as plantas, como trepadeiras. Diferentemente dos anteriores, esta estrutura geralmente fica visível, compondo a decoração.
  • Mantas: Este é o método mais prático e leve, pois não utiliza terra. Aqui, as plantas são colocadas diretamente sobre uma manta geotêxtil. É utilizada na modalidade hidropônica, então há uma certa restrição quanto à escolha das espécies.
Escolha das plantas
Samambaia, ótima opção para jardim vertical.

Para selecionar as espécies do seu jardim vertical, dois pontos principais devem ser analisados: viabilidade e propósito. Primeiramente, você deve entender qual a sua intenção com o jardim, como já citado acima. Assim, pode escolher as plantas que mais se adequam ao seu propósito.

Em seguida, deve-se considerar as condições do ambiente, tais como: espaço, iluminação, temperatura e disponibilidade de água. Para ambientes externos, deve-se escolher espécies adaptadas ao clima da sua região e à incidência de luz solar e água da chuva sobre o jardim. Já para ambientes internos, é importante selecionar plantas de baixo crescimento, dependendo do espaço disponível, e que se adaptem bem à sombra ou iluminação artificial. É importante levar em consideração também a necessidade de água das espécies, pois algumas demandam regas diárias, o que pode ser um empecilho.

Algumas das espécies mais utilizadas são:

  • Samambaias;
  • Heras;
  • Orquídeas;
  • Barba-de-serpente;
  • Jibóia;
  • Lambari-roxo;
  • Véu-de-noiva;
  • Chifre-de-veado;
  • Ripsális.

Estas são apenas algumas das diversas opções disponíveis no mercado, tudo depende do seu gosto e da sua intenção.

Irrigação
Irrigação, sistema importante em jardim vertical.

Um sistema simples de irrigação irá facilitar muito a manutenção do seu jardim vertical e, dependendo do ambiente, até mesmo viabilizar o processo. Em casos de ambientes internos ou jardins muito grandes e de difícil acesso, é extremamente recomendado que se tenha um sistema de irrigação, pois possibilita a rega regular de todas as plantas, além de evitar pisos e paredes molhadas dentro de casa, o que pode gerar infiltrações.

A irrigação por gotejamento é a mais indicada, pois aplica pequenas quantidades de água de forma localizada e precisa. Pode-se ainda utilizar um temporizador, garantindo que a irrigação acontecerá sem que você precise se preocupar em lembrar ou mesmo estar em casa.

Drenagem
Planta encharcada. sem drenagem.

A água aplicada nas plantas precisa escoar. Ficar retida na terra pode prejudicar a saúde das plantas, podendo até matá-las pelo processo de asfixia radicular, ou afogamento das raízes. Mas para onde vai esta água? Assim como a irrigação, um sistema de drenagem vai manter o ambiente mais limpo e evitar encharcamentos e possíveis infiltrações. Ninguém quer um piso e paredes alagadas e sujas de terra, principalmente em ambientes internos ou, por exemplo, perto de uma piscina.

E aí, gostou das dicas? Quer saber mais sobre jardins verticais? Veja o nosso portfólio e entre em contato com a gente! Para ficar por dentro de novos conteúdos e informações importantes acerca desse tipo de assunto, acompanhe o nosso Instagram, ou entre em contato através do nosso e-mail marketing@agrha.com e agende uma conversa conosco!

Está gostando do conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Preparado para a mudança?

Rua Passo da Pátria, n° 156 - Sala 452 Bloco D
São Domingos - Niterói - RJ

(21) 96686-9176

A Agrha Consultoria é uma instituição
SEM FINS LUCRATIVOS

Copyright © 2020 Agrha Consultoria